Departamento de Informática e Estatística
  • Conheça o app para visualizar pontos de coleta do ECOPET na Grande Florianópolis!

    Publicado em 12/07/2019 às 12:14

    Com esse app você pode visualizar um mapa em que há pontos de coleta de tampinhas de plástico do projeto ECOPET. As tampinhas são vendidas para reciclagem e com o dinheiro arrecadado é realizada a castração de animais (cães e gatos) de rua ou que pertençam a famílias carentes. Clicando nos pontos da mapa o app também informa o endereço e o horário de atendimento.

    Imaggem3screenshotsEcopet

    Interesse em usar? Instale o app também no seu celular Android disponível gratuitamente no Google Play.

    Termo de uso

    Fotos-entrega

    O app foi desenvolvido por estudantes do 5. ano do período matutino da professora Suleica F. Biesdorf Kretzer e Jovens Tutores de Programação do 9. Ano da Escola Básica Municipal Almirante Carvalhal em Florianópolis. Nessa oportunidade, os alunos  aprenderam conceitos do pensamento computacional, programação e design visual, criando ao final um aplicativo funcionando com App Inventor!

    Apresentaçãofinal-small

    As aulas aconteceram de forma interdisciplinar, inseridas no conteúdo das aulas de ciências, envolvendo a sustentabilidade ambiental. Foi adotada a estratégia instrucional com enfoque na ação computacional. A ação computacional é um novo enquadramento para o ensino de computação, propondo que, ao mesmo tempo em que os estudantes aprendem sobre computação, também têm a oportunidade de criar soluções computacionais que tenham impacto direto em suas vidas e em suas comunidades.

    As aulas foram ministradas pela equipe da iniciativa Computação na Escola/INCoD/INE/UFSC, como parte de trabalhos no nível de graduação e pós-graduação:

    • Fernando da Cruz Pinheiro. Modelo instrucional para o ensino de Engenharia de Software e Usabilidade voltado à Educação Básica. Mestrado no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação (PPGCC)/UFSC
    • Nathalia da Cruz Alves. CodeMaster: Um Modelo de Avaliação do Pensamento Computacional na Educação Básica através da Análise de Código de Linguagem de Programação Visual. Mestrado no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação (PPGCC)/UFSC
    • Giselle Araújo e Silva de Medeiros. O desenvolvimento de aplicativos para dispositivos móveis na Educação Básica. Mestrado no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE)/UFSC
    • Nathalie F. Ferreira. Design de Interfaces para apps: proposição de uma unidade de ensino para estudantes do ensino fundamental II. Mestrado no Programa de Pós Graduação em Design (PósDESIGN)/UFSC
    • Raul Missfeldt Filho. Desenvolvimento de uma Unidade Instrucional para Ensinar o Desenvolvimento de Apps no Ensino Fundamental com o App Inventor. Trabalho de Conclusão de Bacharelado em Ciências da Computação/INE/UFSC
    • Karla A. Justen. Desenvolvimento de um Analisador de Design de Interface no Contexto do Ensino de Computação com o App Inventor. Trabalho de Conclusão de Bacharelado em Ciências da Computação/INE/UFSC

     

    Empresas/organizações interessadas em patrocinar outros projetos de ensino de programação em escolas podem entrar em contato com a iniciativa Computação na Escola via telefone (48) 3721-7380 /(48) 3721-4715  ou email:


  • Cronograma ajustado de concurso público

    Publicado em 08/07/2019 às 18:03

    Abaixo o link do cronograma ajustado do Concurso Público para Professor Classe A

    Data: 08/07/2019, 18h.

    Edital nº 020/2019/DDP

    Campus Universitário Reitor João David Ferreira Lima / Departamento de Informática e Estatística

    Campo de conhecimento: Matemática / Probabilidade e Estatística / Ciência da Computação / Engenharias / Agronomia / Demografia / Genética/ Estatística.

    Processo nº 23080.017772/2019-51

    cronogramaajustado_07082019_055453


  • Resultado da Prova Escrita de Concurso Público

    Publicado em 07/07/2019 às 17:46

    Concurso Público para Professor Classe A
    Edital no 020/2019/DDP
    Campus Universitário Reitor João David Ferreira Lima/Departamento de Informática e Estatística
    Campo de Conhecimento: Matemática/Probabilidade e Estatística/Ciência da Computação/Engenharias/Agronomia/Demografia/Genética/Estatística
    Processo no 23080.017772/2019-51

    ResultadoProvaEscrita_07072019_053622


  • Publicado em 01/07/2019 às 16:06

    Conheça os designs de interface de aplicativos móveis desenvolvidos pelos alunos da disciplina INE5624-08208 (20191) – Engenharia de Usabilidade/UFSC: http://www.gqs.ufsc.br/ine5624-20191/

    Mais informações sobre a disciplina: http://www.gqs.ufsc.br/ine5624cco/


  • Relato de experiência da Computação na Escola na ACM Interactions

    Publicado em 01/07/2019 às 13:48

    Já está disponível o artigo apresentando nossa experiência ensinando o design de interface de usuário e desenvolvimento de apps com App Inventor na Escola Básica Municipal Almirante Carvalhal/Florianópolis:

    Nathalie F. Ferreira, Christiane Gresse von Wangenheim, Raul Missfeldt Filho, Fernando da Cruz Pinheiro, Jean C. R. Hauck. Learning user interface design and the development of mobile applications in middle school. ACM Interactions, 26 (4), 2019.

    Mais um resultado da iniciativa Computação na Escola/INCoD/INE/UFSC envolvendo trabalhos de alunos do PPGCC e CCO do INE/UFSC:

    • Fernando da Cruz Pinheiro. Modelo instrucional para o ensino de Engenharia de Software e Usabilidade voltado à Educação Básica. Dissertação de mestrado, Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação (PPGCC), UFSC, 2019.
    • Raul Missfeldt Filho. Desenvolvimento de uma Unidade Instrucional para Ensinar o Desenvolvimento de Apps no Ensino Fundamental com o App Inventor. Trabalho de Conclusão de Curso, Graduação em Ciência da Computação, UFSC, 2019.

    Em cooperação com o Programa de Pós Graduação em Design /UFSC:

    • Nathalie F. Ferreira. Design de Interfaces para apps: proposição de uma unidade de ensino para estudantes do ensino fundamental II. Programa de Pós Graduação em Design – PósDESIGN/UFSC, 2019.

     


  • Novo método de inferência Fuzzy-Bayesiana Dinâmica apresentado em congresso na Polônia

    Publicado em 24/06/2019 às 17:28

    As redes Bayesianas são usadas para representar e inferir sobre variáveis com incertezas aleatórias. Redes Bayesianas dinâmicas estendem esse conceito, introduzindo dependências temporais que podem representar comportamentos dinâmicos ao longo do tempo dessas variáveis.

    A lógica difusa, por outro lado, provê um arcabouço para a modelagem de incertezas e conceitos vagos. Ela ajuda a descrever conceitos que não são bem uma coisa, nem bem outra coisa.

    Embora teorias híbridas que tentem integrar lógica difusa e redes Bayesianas tenham sido postuladas no passado, há muitas limitações ainda, que restringem a forma como se consegue modelar evidência com estas ferramentas, principalmente no que diz respeito ao uso de evidências difusas em redes Bayesianas.

    Este trabalho, resultado do mestrado de Munyque Mittelmann, realizado no PPGCC e apresentado numa das mais importantes conferências internacionais de inteligência artificial, é uma contribuição que se propõe a oferecer um método para redes Bayesianas difusas dinâmicas que permite inferências sobre variáveis não dicotômicas, isto é, variáveis que podem assumir mais de dois valores.

    Confira o trabalho:


  • Nova sistemática para migração para Laudos Estruturados em Telemedicina e Telessaúde apresentada em duas conferências

    Publicado em 24/06/2019 às 10:19

    Neste mês apresentamos em duas conferências, uma internacional e outra nacional, o nosso novo modelo sistemático para migração para laudos estruturados em telemedicina e telessaúde utilizando DICOM Structured Reporting.

    Qual a lógica por detrás do nosso modelo?

    15 anos de operação e mais de sete milhões de exames realizados no sistema integrado catarinense de telemedicina e telessaúde têm mostrado que a melhor solução para laudos em telemedicina e telessaúde é a utilização de modelos de laudo estruturado. Os laudos estruturados, quando baseados em um padrão como DICOM Structured Reporting, e usando vocabulários controlados específicos para cada área de exame ou de atuação da atenção básica, permitem-nos tanto padronizar a forma como a saúde do paciente ou achados em um exame são descritos, o que facilita muito a vida do médico da atenção básica que depois vai se utilizar das informações deste laudo, como também nos permite uma indexação imediata, em tempo real, de morbidades que são identificadas dentro do sistema de telemedicina e telessaúde. cruzando-se esses dados com dados georreferenciados das unidades básicas e dos hospitais onde os exames são realizados, podemos criar assim, um registro eletrônico de saúde georreferenciado, com mapeamento epidemiológico em tempo real. Isso é hoje realizado no módulo GISTelemed do nosso sistema de telemedicina e telessaúde.

    Um dos grandes entraves para a migração a partir de um sistema de laudo em texto livre para um sistema de laudo estruturado é a falta de um processo sistemático e bem definido de como isso deve ser realizado para cada modalidade de exame. A inexistência de um modelo de processo para realização dessa migração tem sido um dos maiores fatores dificultadores.

    Neste trabalho que estamos apresentando aqui, propomos um modelo de processo que reflete a nossa experiência de 15 anos de telemedicina e telessaúde em Santa Catarina. O modelo foi validado na área da ultrassonografia obstétrica e encontra-se em aplicação experimental em outras áreas no momento. Este modelo de processo, entre outras coisas, mostra como sistematicamente você pode desenvolver um vocabulário controlado para uma área bem específica da Saúde, onde ainda não existe um vocabulário desse tipo.

    Veja as publlicações